"Há dias que dá vontade de fazer nada. Há dias que nem os sonhos parecem fazer sentido. Sufocada nesse labirinto chamado Terra, um corpo já sem alma vaga n amultidão... Quem lhe dera inaugurar o beijo da despedida, pois há dias em que o mundo inteiro canta e ele apenas consegue chorar."

By Talissa

26/08/2009

O Troco

Em tempestades remotas o doce e encantador beijo da Sereia lhe perturba a mente. Exalando um sorriso, a Criatura inunda o vazio com seu sentimento de vitória. Mal sabe que daquele tempo não deveras cantar tal vitória. Apenas foi Criatura iludida.
O tempo passa. As horas lentamente avançam. Se o poder de viajar nas horas possuísse a Sereia, não o usaria. Viajar nas horas seria regressar ao passado e ai o troco de nada valeria!
Sentindo os obstáculos do presente e o ar que lhe sufoca, eis que surge uma indagação: Será que são as palavras que lhe faltam, ou falar as palavras lhe causa dor?
Num simples gesto a Criatura se opõe a sentir a ausência de sua presença. Agora a Sereia se foi e não levou nem mesmo a penúria, porém perdeu a alegria e conheceu de sua alma a escuridão profunda. As palavras voam na mente como placebo... "Sorria novamente! Troco sempre será, então cale-se e simplesmente aceite."
Aos dois seres equidistantes deixo meu suplício: não questione a sí mesmo, mas sim questione seus atos, pensamentos e juízo.
E assim encerro este conto, como um mero telespectador que viu a fome de um servir como o troco para o fascínio do outro.

Um comentário:

RAY COSMÉTICOS disse...

Olá! Venha conhecer meu blog e fazer parte dos Cheirosinhos!!!

Bj.

Silmara.

www.saboneteshidratantes.blogspot.com

"Nada nos deixa tão solitários quanto nossos segredos."

(Paul Tournier)